Dando um novo sentido a tudo aquilo que nos interessa, no olhar, na opinião, no jeito, da forma em que queremos, que expressamos, mesmo que sejamos incompreendidos, ligaremos o foda-se, pois seguimos apostando naquilo que nos deixa feliz, escrever e se expressar.

Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 28 de julho de 2012

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Seguindo...



É engraçado que só descobrimos com o passar dos anos algumas coisas, ou algumas ações como ser Pai. Amanhã as 08h04min meu preto completa um ano de vida.

E assim, depois de muito esperar, outro dia como outro qualquer, decidi triunfar... Decidi não esperar as oportunidades e sim, eu mesmo buscá-las. Decidi ver cada problema como uma oportunidade de encontrar uma solução. Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis. Decidi ver cada noite como um mistério a resolver. Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz. Descobri que meu único rival não era mais que minhas próprias limitações e que enfrentá-las era a única e melhor forma de as superar. Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tenha sido. Deixei de me importar com quem ganha ou perde, agora, me importa simplesmente saber melhor o que fazer, o lema é só o que interessa (origem na expressão "no bullshit"). Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima, e sim deixar de subir. Aprendi que o melhor triunfo que posso ter, é ter o direito de chamar a alguém de filho. Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, "o amor é uma filosofia de vida". Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser a minha própria tênue luz deste presente. Aprendi que de nada serve ser luz se não vai iluminar o caminho dos demais. Naquele dia, decidi trocar tantas coisas... Naquele dia, aprendi que os sonhos são somente para fazer-se realidade. E desde aquele dia já não durmo para descansar... Agora simplesmente durmo para sonhar.

Estaremos juntos para sempre...

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Non Reset

O reset não pode ser apertado em nossas vidas é assim que funciona. Se errou, pague pelos seus erros em recompensa ao danos causados ou não. Na vida sempre teremos trilhas sinuosas em que ao menor deslize, pow! fomos atingidos e despencamos no abismo, no escuro. O caminho da luz para muitos é sem graça, demanda mais tempo e esforço, dói e de tão árduo convence os mais fracos de que a trilha mais curta é no final a mais iluminada, engano, o caminho da luz sempre é aquele em que suamos e vivemos o dia-a-dia da construção.

Se refazer, se reconstruir, confiar e se confiado nessa estrada é uma nova luta, caminhos árduos sempre foi lema e por um momento em que achei que seria mais fácil tomar um atalho, pronto! Me fudi... tudo aquilo em que sonhei e plantei como a primeira semente do lindo jardim de lírios amarelos, morreu.

 Mais a pergunta que fica é por que não temos o botão de reset? seria como nos videogames da vida, se aquela partida não está boa, pronto aperta o reset e start novamente e é apenas recomeçar.

 Acreditar nas verdades do mundo é um lema, não quero mais andar por estradas que não me levem a lugar nenhum, eu me auto-destrui no momento em que me trai. Estou arrependido, desamparado, sem vida e sem alegria e o jogo no modo exibição não foi o que planejamos.

Esse ato é uma passagem depressiva, onde aquele que erra tem o direito de se arrepender, porém não tem o direito de ser perdoado, pagar é o preço mais justo. 

                                                               (Sl 43.1a,2a)


sábado, 8 de janeiro de 2011

Reinventar...


A Essência continua a mesma, a 2.9, o motor continua bom e bem sereno, a alma brilha cada vez mais, esse ano tive pela primeira vez em todos esses anos na vida, a sensação que nada me fizesse questionar a minha postura e a atitude em relações cotidianas, porém ano passado e marcante demais pra mim e sem sombra de dúvidas aquele em que nunca mais sairá da minha memória me reinventei e tirei de dentro de mim um novo ser que estava aprisionado e sem força, sem vida. 

O despertar veio com a notícia que seria Pai, rapidamente tudo aquilo que era gerado em minha mente em relação ao botão do foda-se ligado, sofre um choque moral e me faz refletir sobre um novo prognostico sobre a visão da vida.

O ato II trata do prazer em se reinventar

“Onde quer que você veja um negócio de sucesso, pode acreditar que ali houve um dia uma decisão corajosa.”

O primeiro passo foi adequar-se ao mercado, o jeito rústico toma novo movimento, o movimento do companherismo, onde viver coletivamente passa a ser lema e rumo.

Liberação de um passado em que o falso se revela aos olhos da multidão e enxergar que os de verdade sempre, por mais que demore vieram reinar.

Sonhar tornou-se mais o importante ingrediente fazendo-me crescer. Sem contar também que é o combustível para minhas grandes invenções e inovações. Sonhei mais, realizei mais. Acreditando nos meus ideais, visualizando apenas ações construtivas. Sempre em frente contra a rotina estressante.

Tudo com enorme prazer transformei o triste cotidiano em nossa felicidade e foi preciso ter coragem para sair da rotina, novas rotas sempre são complicadas, apenas apurei o faro e avante o comando foi dado feito um general de sete estrelas, pronto não olhei mais para trás.

Não sou eu quem me navega que me navega é o mar, acreditando no destino, deixei os ventos me levar, chorei, cantei, viajei, falei, olhei, acendi, apaguei, ascendi, sorri, me desculpei, aprendi, fato mais que importante para minha epopéia, respeito minha origem e os meus princípios é o que chamo de "minha constituição, criada e assinada por mim". Reciclei minha política pessoal e parti feliz e é isso que depois de plantar uma árvore, produzimos a semente, agora é só escrever um livro e pronto, pronto para uma nova reinvenção.

sábado, 12 de junho de 2010

Primeiro Ato.




Este Blog relutou em nascer, pois não chegava a um tema específico, até que resolvi escrever aquilo gosto, todo meu exercício de enlouquecia sem ordem, sem regras, sem pré-conceitos, apenas como meus sentidos, dando minha posição, opinião, visão, a tudo que considero fonte de conhecimento ressignificando ao meu modo. 
E o que me interessa nem sempre é o que tem importância para você e assim tentarei utilizar os conceitos da palavra Ressignificação, que Segundo o Wikipédia,  é um método utilizado em neurolingüística para fazer com que pessoas possam atribuir novo significado a acontecimentos através da mudança de sua visão de mundo.
A programação neurolingüística utiliza várias técnicas para fazer com que as pessoas percebam o mundo de uma maneira mais agradável, proveitosa e eficiente.
O significado de todo acontecimento depende do filtro pelo qual o vemos. Quando mudamos o filtro, mudamos o significado do acontecimento, e a isso se chama ressignificar, ou seja, modificar o filtro pelo qual uma pessoa percebe os acontecimentos a fim de alterar o significado desse acontecimento. quando o significado se modifica, as respostas e comportamentos da pessoa também se modificam.
A ressignificação está presente em muitas fábulas, tais como a do patinho feio ou a de Rudolf (Rena do Papai-Noel que tem o nariz vermelho).
A ressignificação é um elemento chave para o processo criativo, significando a habilidade de situar o evento comum num filtro útil ou capaz de propiciar prazer.
Na teoria da comunicação geral, um sinal somente possui significado em termos de filtros ou contexto no qual se manifesta. Através da ressignificação, podemos aprender a pensar de outro modo sobre as coisas, ver novos pontos de vista ou levar outros fatores em consideração. Daí seguindo os pensamentos de Paul-michel foucault, para mim escrever não me interessa senão na medida em que o escrever se incorpora à realidade de um combate, como um instrumento, de táticas, de esclarecimentos.